Relacionamento abusivo – eu vivi.

A questão é que a gente sempre lê sobre relacionamentos abusivos e pensa: ” eu nunca vou deixar chegar a esse ponto eu vou perceber logo” e não é bem assim que acontece, a gente demora ( e to falando isso por experiência própria) a se tocar que aquele ciúmes “inocente” em falar “- Nossa sua saia não está curta demais?” era na verdade somente o inicio de algo maior que estava por vir.
Entre vários relatos que já ouvi ( e também vivi) hoje eu resolvi compartilhar com vocês o meu relato sobre o assunto.
abusivo
Eu não me lembro a data certa que a gente começou um relacionamento, ele era legal e dono de um sorriso encantador mas no primeiro dia ( sim, isso mesmo no dia em que a gente se conheceu) ele já mostrou o que me aguardava pela frente e como de costume a gente pensa que é normal, que é fofo o ciúme possessivo, a cena foi a seguinte: show, lotado, ele com os amigos dele e eu sozinha de lado, um rapaz veio em minha direção ( sem eu ver) e ele me abraçou fortemente ( e sim ficou roxo) e falou pro cara qual é? .
Até então a gente pensa: ai que bonitinho ele ficou com ciúmes mas não é legal, ele tinha acabado de me conhecer como alguém pode ter ciúmes de alguém que acabou de conhecer? mas enfim a vida segue, a gente pensa: é insegurança isso logo passa mas vai por mim gente ao primeiro sinalzinho corram, isso nunca vai passar.
O tempo passou, era legal viver com alguém no qual era totalmente diferente de mim, não tinha planos pra vida e eu que sou totalmente metódica me incomodava um pouco mas sei lá acho que as vezes a gente precisa viver com alguém diferente e ganhar novos olhares sobre a vida.

Nossas brigas eram constantes porque eu gostava de sair pra tomar uma cerveja com minhas amigas uma vez na semana, e acorda né? Em que mundo se vive no qual não se pode reunir com umas amigas para tomar uma cerveja? Na minha opinião a traição quando se deve ocorrer, ocorre até mesmo quando o outro está do lado, trair é um escolha não uma consequência e eu não estava disposta a trair ninguém, a não ser que a traição fosse trair com um copo de cerveja. Toda vez era a mesma coisa: “- Deixa eu ver a roupa que você ta?” “- Se você for assim você me esquece” “-Com essa blusa você não vai em lugar nenhum” “- Eu vi seu snap, o carro que você estava não era seu” “- você desligou o telefone porque estava com outro” e assim por diante a vida seguia, talvez eu estivesse até carente a ponto de aceitar isso ou mesmo tenha gostado dele e achasse que isso iria passar e eu não sei dizer realmente.
O tempo continuou passando e lá veio mais um episódio: “- Amor,vamos na praia?” “- vamos”. Ao chegar na praia adivinhem, as pessoas ficam de biquíni e sunga, gente eu moro no Brasil, moro na praia não uso um biquíni retrô para tomar sol e lá partimos para mais um toquezinho ” – Você não tinha biquíni menor pra vir na praia não?”, com toda a paciência do mundo respondi que aquele não era o menor e que se ele quisesse ele comprasse um novo pra que eu usasse, para completar na nossa frente havia chegado um grupo de rapazes, daqueles tipos bombados da academia e quando ele havia ido no quiosque e eu na água com a minha filha um dos rapazes veio falar comigo e adivinhem? Mais uma “chamada”. “-Você não quis me esperar porque queria ser solteira para o fortão ali” mas ele não sabe que controlar uma criança de 4 anos morrendo de vontade de entrar no mar num calor quase do deserto não é uma das tarefas mais fáceis.
Mais um dia, tudo começou bem, era virada de ano tudo bem, era dia de festa e teoricamente era pra ser tudo ok né? Mas não foi, por um motivo idiota ( meu ex namorado havia desejado feliz ano novo) em um beijo ele quase arrancou a minha boca porque eu havia recebido uma mensagem de outro homem que não era ele. Eu até “entendi” mas não achava que era normal aquilo mas como disse a gente vê, enxerga mas não considera abusivo mesmo sabendo de tudo.
E ai vem aquela galera que diz: mas por que não bloqueou o ex namorado? E agora vai também a minha opinião, seja como foi a forma que terminaram, foi uma pessoa que você teve um carinho ( e mesmo que você diga que não, você sempre irá nutrir um carinho por ela), não acho que seja crime vê o ex namorado na rua e falar oi, acho ridículo é passar do lado e fingir que a pessoa não está lá, ou que você não a conhece. Não preciso falar todos os dias com meu ex, afinal ele não está mais no meus planos e muito menos nos meus pensamentos mas criar inimizade com alguém que um dia já me fez bem eu acho tolice.

E ai sim vem o “Grand finale”, a gente não morava perto e isso causou uma certa insegurança em ambas as partes e eu resolvi ir pros “lados” dele. Lembro que no dia a operadora do meu celular estava sem transmissão para a região dele e eu não conseguia falar com ninguém ( nem com a minha família diga-se de passagem), pedi pra que ele me emprestasse um pouco da internet dele tendo em vista que estávamos somente com homens amigos dele e a resposta foi: você não precisa falar com mais ninguém, eu já to aqui, entre mais uma vez dizer que eu estava de decote (e eu estava de camisa) ou que meu shorts era curto demais.
Não sei se foi porque eu estava fora da minha zona de conforto ( vulgo minha casa) mas pra mim foi o fim, eu não o reconhecia mais, não sentia mais prazer em estar em sua companhia e por fim terminamos. E se você acha que parou por ai, você está completamente enganado, quando eu falo em abusivo é abusivo M-E-S-M-O.
Como já disse anteriormente não tenho nada contra meus ex’s todos foram importantes na minha vida e não tenho raiva de nenhum, dias passaram veio trabalho e adivinhem: deu problema. Não porque ele foi falar com alguém ou algo do gênero mas porque ele me ofendeu com palavras de baixo calão do qual eu não merecia ter ouvido, quando uma pessoa ajuda a gente o que a gente faz é xingar ou dizer obrigado? Ah, ufa ainda bem que eu não estou sozinha em escolher dizer obrigado.
Acho que a pior parte de tudo isso é que no fundo a gente espera que a pessoa bote pelo menos um dedinho na cabeça e pense: “- Eu pelo menos tenho que pedir desculpas pelo que eu fiz” mas sério gente vai por mim isso nunca irá acontecer, pessoas assim simplesmente acham que estão certas em tudo.
Então hoje mesmo que você ache que já sabe tudo sobre relacionamento abusivo saiba que no menor sinalzinho fuja porque a tendência só é piorar.

vou deixar aqui um site que achei muito legal sobre relacionamento abusivos:
www.sosmulherefamilia.org.br/sinais-de-relação-abusiva

2 thoughts on “Relacionamento abusivo – eu vivi.

    1. é rídiculo esse tipo de relacionamento porém é muito mais comum do que a gente imagina, não deixa agir assim não, ele comprou roupas mais curtas pra você se certa forma ao meu ver foi pra pirraçar você, infantilidade.
      Vou visitar seu blog .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 12 =