Dois pecados que caminham juntos

Os maiores pecados do mundo em minha opinião sempre foram a vaidade e a gula, talvez a preguiça se encaixe no meu ponto de vista mas como já disse anteriormente, esse dois foram os que mais observei e observo ao meu redor.
A vaidade proporciona a sedução, a cobiça, o desejado se
tornar “seu”. Acredito que todo o ser humano tem um pouco de vaidade, afinal
que nunca quis sair com alguém que diriam que era impossível, ou mesmo uma
pessoa bonita ao seu ponto de vista?  Podemos simplesmente responder que não,
mas até mesmo em nos sonho, inconscientemente essa vaidade vai aparecer.
A gula, o ponto X, o fato da grande maioria das pessoas nunca
se sentirem totalmente satisfeitas com o que tem, o  querer sempre mais e
mais dominou o mundo de uma
forma tão grandiosa e que vejo inúmeras pessoas com o pensamento: “– se eu
tenho esse, por que não posso ter outro melhor?”, a cisma do que possuí não é
bom o suficiente pra si e ver sempre procurarem mais, e nunca encontrarem o que
eles denominam como o” melhor”
Esses são dois pecados que acabam se encaixando perfeitamente, caminhando
juntos e acabam fazendo de alguns seres humanos pessoas denominadas pessoas sem
coração.
Uma vez ou outra alguém irá tocar o coração dessas pessoas,
mas é claro, seus pecados irão sempre falar mais alto. Irão agir devagar, esperando
à hora certa para agir e fazer a vida virar de pernas para o ar.
E assim eles tomam conta da cabeça, devassam os projetos subsequentes,
fazendo acreditar que era melhor assim e usar a frase: “– não era pra ser”.
Pecados na verdade são traições criadas pelas nossas mentes, um
tipo de refúgio para nos satisfazermos de nossas inseguranças.
A humanidade se deixou levar pelos seus próprios pecados,
cada um com o seu, mas que pouco a pouco vem destruindo o pouco de sentimento
que existe ainda no mundo.