Ele tinha tudo para ser o último homem da vida dela mas ….

Ele era aquele típico cara que ela se apaixonaria fácil : doce, atencioso, simpático…. Mas pecou, pecou quando achou que ela estava na mão dele e poderia fazer do seu pseudo relacionamento o que ele bem quisesse. 

Denomino pseudo pois não era namoro e estava bem longe de ser um ficante mas status não definem uma relação não é mesmo ? 
Todos os dias eram sempre assim , um bom dia meu amor , saudades e todas essas palavras doces ( e clichês ) que um relacionamento tem, era bom , claro que era , quem não gosta de ser paparicado ? Ou chamado de meu ? 
Sim, você até pode falar não mas mentir pra si mesmo é quase impossível,todos nós queremos encontrar a tampa da nossa panela ( ué será que ela nasceu frigideira ?). 
Ela era aquela típica moça que acreditava no amor e por mais durona que parecesse ser tinha o coração mais mole que eu já vi . 
Ele era o típico falso bom moço , ele gostava de manipular mentes a seu favor e talvez por isso fosse tão adorado em sua volta. 
Ele vivia rodeado de gente , tinha eventos todos os dias, por onde ia encontrava alguém e nunca estava só , ela tinha seus amigos (poucos mais tinha) e isso já bastava , não gostava de ter quantidade , isso para ela já havia passado .
Eles tinham manias que incrivelmente se completavam, aparentavam ser o casal perfeito… Ela era ciumenta e mostrava isso diariamente pra ele, ele também se dizia ser mas só se importava realmente quando via algo ameaçador. 
Ele apresentou a segurança mas também apresentou o homem possessivo que ele guardava dentro de si , mostrou a verdadeira face que tentava não mostrar a quase ninguém . Quando ele achou que ela estava na mão dele , ele começou a manipular a mente dela para que ela acreditasse nas mentiras contadas por ele, ele brincou com a inteligência dela e achou que ela acreditaria em tudo que ele diria mas  mal sabia ele que de homens como ele, ela estava já saturada.  
E assim cheio de querer ser o cara ele passou a ser somente mais um, ele tinha tudo pra ser o último homem da vida dela mas no entanto preferiu ser apenas mais um .