Nem tudo é como parece ser

                         
“Enquanto as pessoas se preocupavam em dizer coisas inventadas para se engrandecerem Paula* se mantia a mesma. 
Ela sabia que a vida era diferente a cada dia e diferente para cada um, ela não se importa se a grande maioria dos dias não tivesse grandes emoções, não tivesse uma declaração de amor ou mesmo uma briga por um cara que não ligasse para ela, Paula sabia que a vida é cheia de surpresas e que um dia se tem muito , no outro se tem pouco . 
Um dia, Paula começou a observar sua amiga ou melhor sua suposta amiga, tudo acontecia com ela , ela tinha uma família problemática mas ao mesmo tempo ela não deixava a mãe só, ela tinha um emprego em outra cidade onde não precisava trabalhar todos os dias, ela tinha um romance de quase um ano que o rapaz não a assumia e não aparecia em foto . Ela, que já tinha escutado muitas histórias começou a “investigar”, saiu da zona de conforto e buscou saber sobre essa tal amiga . 
Vamos facilitar, dar nome a essa amiga e falar um pouco dela , Ingrid ** ela era a pessoa mais prestativa que Paula já tinha visto, era amiga para todas as horas , tenho certeza que se ligassem pra ela as 2 da manhã e falasse vamos para China ela toparia, porém com toda essa prestatividade vinham também as invenções, mentiras . 
Um tempo depois (ou melhor muito tempo depois) , Paula começou a ver que Ingrid não a deixava ser amiga de mais ninguém , qualquer pessoa que se aproximasse ela ficava brava e fechava a cara, elas eram muito próximas e até poderia ser ciúmes,e como eu estava dizendo Paula resolver “investigar ” as verdades de Ingrid e teve uma triste surpresa: tudo, absolutamente tudo o que Ingrid falava era mentira e invenção da sua cabeça doentia e psicopata . 
Paula manteve-se integra mesmo com toda a sua mágoa e decepção não quis ofender nem desmoralizar a “amiga”, o que ela reza hoje é que Ingrid um dia pare para pensar que essa vida não leva a nada e os futuros amigos ela não os manipule. 
A lição que Paula tirou disso tudo é: nem tudo é como parece ser . “
Obs: * e ** são nomes fictícios não podendo ser comparados  a realidade. 

Padrões estabelecidos por uma sociedade totalmente insatisfeita

Essa imagem está rolando na internet tem alguns dias e mostra exatamente como é os dias de hoje .

A sociedade impõem regras e valores tão superficiais que acabamos entrando em uma neura tão grande pra atingir esse “padrão de beleza” e acabamos nos diminuindo e até deixando de lado quem realmente somos . 
O padrão de beleza deveria ser estabelecido em ser você mesmo em estar feliz consigo mesmo , uma pessoa feliz é muito mais bonita , sem qualquer sombra de dúvidas, do que alguém que se priva de tudo para manter um corpo. 
Eu já enfrentei isso, e é muito difícil , na minha adolescência eu era mais “cheinha” e via muita gente , por trás claro, falando lá vem a gorda. Ganhei vários apelidos e um marcou muito minha vida, eu que na época tinha seios grandes fiquei com o apelido de PEITOS, muitas vezes eu ria mas isso me incomodava muito , na época minha depressão era tão grande que meu pai ofereceu pagar uma lipoaspiração e uma cirurgia plástica para diminuição das mamas mas graças a Deus e aos meus fieis ouvintes (meus pais) isso não foi necessário, meu corpo foi se modificando eu emagreci bastante (e sem me privar de nada) e perdi o tal apelido que me incomodava . 
Sou super a favor das pessoas se cuidarem, se sentirem melhores com seu físico desde que seja exclusivamente porque você quer , não para agradar o próximo , o próximo sempre irá querer estabelecer padrões e se você cair nessa, meu caro, você irá pirar.
Sorria e seja feliz da forma que você é! 

Créditos pela imagem : Meg Gaiger/Harpyimages. 

Hoje a saudade veio conversa comigo …

Já tem alguns dias que o facebook me remete voltar ao tempo , em exatos 3 anos atrás precisamente … Janeiro 2013,  já estava doente e não imaginávamos que daqui a poucos dias ele estaria entrando numa UTI para não sair mais .

Sempre com as palavras mais doces me acalmando de uma certa forma , me aconselhando , me ouvindo , dando bronca e me ensinando que essa vida é feita de detalhes e são esses detalhes que vão determinar quem somos . 
Me lembro como fosse ontem ( e às vezes acho que estou revivendo isso tudo ), primeiro dia de aula na Escola Wolf Maya, primeira aula, ele entra, senta , pergunta nossos nomes e nos faz ser Chapeuzinho Vermelho, vovozinha, lobo mal e o caçador , o melhor de tudo em RUSSO, isso mesmo meus caros leitores em russo , todos os personagens juntos com vozes diferentes e sem identificar aos colegas de sala quem você estava fazendo, e adivinha quem foi a sortuda de ir primeiro ? Rs isso mesmo eu . 
Nas aulas seguintes lembro que achei que ele tinha algum problema comigo , tudo era eu o exemplo e a pegacao de pé… Até que em um dia que eu não estava muito bem , ele sentou ao meu lado encostou minha cabeça no seu colo e disse pode chorar o quanto você quiser meu bem, quando acabar esse choro você estará uma nova mulher  desde então ele se tornou um grande amigo ali dentro e fora dali. 
Baccelli, me ensinou a perde a vergonha de falar na frente dos outros, que a pratica e repetição levam a melhora e que nada consegue ser igual novamente , tudo é único mesmo que as palavras sejam iguais os momentos acontecem uma única vez. 
Ele não chegou a conhecer pessoalmente a minha filha mais tive o grande prazer dele passar a mão na minha barriga e dizer à minha filha que eu era uma grande mulher . 
Dia 25 de fevereiro irá fazer 3 anos da sua partida , você não era desse mundo logo não poderia permanecer mais nele , agradeço por ter me dado a oportunidade de ter tido aulas com você , por ter sido esse homem extraordinário que sempre foi e sempre deixei claro a você o quanto o admirava, e por sido esse amigo tão verdadeiro . 
Sinto sua falta e seja onde você estiver você deve sentir isso . 
Hoje a saudade veio conversa comigo e ela deixou uma lágrima cair pelo meu rosto .

Geração imediatista

Aproveitei o silêncio que reinava na minha casa e me coloquei a escrever .

Não que eu não escreva quando está tudo agitado ou todos já nas suas atividades mas na grande maioria das vezes o silêncio nos remete a pensamentos, somente nossos ,e isso vai de encontro ao nosso ser . 
Em pleno ano de 2016, ainda me deparo com situações em que uma pessoa precisa se desdobrar em mil para ter o mínimo de atenção da outra … Denomina -se amor ? Ou não se enquadra melhor posse ? 
Eu entendo a gente luta , quer, insiste mas precisamos entender que se a outra parte não se esforça também , o seu tudo se torna nada, talvez a pessoa, pra quem tanto você fez, só irá te perceber quando tiver os momentos de solidão (inevitável todos nós temos) e então talvez seja tarde demais .
O problema da geração de hoje (e eu me incluso nisso) é achar que tudo o que queremos tem que ser agora, pra já, acordar e dormir e está ali como num toque de mágica mas esquecem que tudo o que vem rápido vai rápido também , não tem aquele gostinho de conquista, de ganhar  e o mais importante de tudo de ter o valor real reconhecido. 
Somos os culpados disso tudo, não temos paciência em esperar nada , absolutamente nada e tudo acaba se tornando descartável , o que é uma pena. 
Fico imaginando se as pessoas continuarem assim, como será quando minha filha for adulta ? Sinceramente isso é um grande mistério e isso me assusta um pouco. 
Torço e rezo para que eles saibam que o tempo é preciso e o único que tem o poder de trazer aquilo que nós realmente merecemos . 
E pra nós, a geração do imediatismo, eu desejo que a gente aprenda a ser menos , afinal em muitas situações ser menos é mais.