O beijo que mata

Ontem eu fiquei um pouco horrorizada com uma reportagem que li no site GNT,  no qual o título se emprega com “Bebê morre após contrair herpes com beijo de pai” .
Sabe isso é muito difícil não foi um erro médico, muito menos falta de atenção da mãe ou do pai, acho que nesse caso faltou informação de que esse vírus seria tão perigoso, e no caso fatal.
A falta de informação causou tamanha tristeza nessa família e infelizmente essa não foi a única.
Curiosa, fiz uma pesquisa e descobri que existe ainda inúmeros casos de morte de bebês pelo “beijo”.
Gente, não estou criticando mas aqui vai um alerta, bebê não são imunes como nós adultos, durantes as 6 primeiras semanas o vírus da herpes é fatal para um RN.
Ele pode ser contraído através do contato com um portador do vírus ou através através da mãe que adquiriu o vírus durante o terceiro trimestre.
O vírus se manifesta através de forma disseminada ou localizada, no Sistema nervoso central, pele ou olhos (sendo que em um RN a forma que mais se manifesta é no sistema nervoso,por isso a grande fatalidade).
A infecção do RN pelo vírus pode causar:
 – lesões cerebrais: intrauterino ( mal formações congênitas em especial no tubo neural) e no cérebro menigoencefalite difusa.
– lesões pulmonares: geralmente são muito graves, o vírus se manifesta no alvéolos pulmonares, inflamações no epitélio brônquico e também pode vir a causar uma necrose peribrôquica.
– nas lesões disseminadas, os órgão mais atingidos são fígado e glândulas adrenais, porém o trato gastrointestinal são de grande destaque também glossite herpética e a esofagite.
As manifestações (clínicas) apresentadas são:
* intra uterina:
– retardo no crescimento intra uterino
– prematuridade
– retardo no desenvolvimento motor
– quadriplegia espástica
– lesões na pele
– lesões oftálmicas
– anormalidades dos membros
– lesões cerebrais
– instabilidade térmica
– malformação cardíaca
– pneumonite
* adquirida disseminada:
– anorexia
– convulsões
– vômitos
– glossite
– esofagite
– ictericia
– apneia
– cianose
– coma
– meningoencefalite
*adquirida localizada (acomete cerca de 50% dos casos)
– encefalite
– hemorragias
– convulsões de difícil controle
– lesões oftálmicas
– perda de reflexo de sucção e deglutição
– choro de timbre alto

Existe sim tratamento, porém o RN pode ficar com sequelas para o resto da vida.

PREVENÇÃO E CAUTELA com os bebês.