O primeiro dia do pós parto e de vida da Alice

Como disse, minha filha nasceu exatamente as 21h01m do dia 07-11-2012, consegui pegar ela, sentir seu cheirinho, e também como o hospital que eu tive ela os familiares conseguem assistir o parto através do vidro, vi a emoção de todos ao vê-la pela primeira vez.
E lá se foi ela para seu primeiro banho, seus exames… e eu fiquei ali, continuando a operação.
Ocorreu tudo bem, e fui para o centro de recuperação que acho que foi uma das experiências mais chatas que tive, ficamos ali sozinhas, ansiosas para pegar seu(sua) filho (a) e nada as horas são eternas, você tenta de todas as formas fazerem com que suas pernas se mexam para que você possa ir para o quarto e nada, além de ver outras grávidas, chorando de dor e etc… foram as 5 horas mais terríveis que tive mas quando mexi os dedos já chamei o enfermeiro para que me levasse para o quarto e trouxessem minha linda filha.
E assim foi, o enfermeiro me chamou de apressada rindo ( lembrando que foi o mesmo que me levou para assinar os papéis), lá foi eu para o meu quarto e quando entrei estava lá me aguardando meus pais e minha tia, que estavam super preocupados pois já era para eu ter ido para o quarto (é eu demorei um pouco mais que o normal para voltar da cirurgia e não sabia rs ).
Pediram para eu me tentar passar de uma cama para outra (lembrando que é rolando) e olha um dorzinha veio e tome lisador mas sabe eu queria tanto pegar minha filha no colo que a dor era o de menos.
Meu pai e minha tia foram embora, na verdade eles não podiam nem estar ali , mas foram liberados devido ao grau de estresse que eles estavam.  Minha mãe, sempre muito atenciosa, sabia muito bem qual a primeira roupinha que eu queria que colocasse na Alice, o body, macacão,meia e etc, também porque eu sou chata e antes de qualquer coisa eu já tinha separado as roupas da Alice para que nada desse errado… pedi para que a trouxessem e tive a bela notícia: ela poderia passar a noite comigo.
E lá veio ela, quietinha e sempre muito esperta com os seus olhos (sem cor definida) observando esse mundo novo que tinha chego, cheirosa.. sem choro, tão minha.